Lesão por esforço repetitivo pode dar o direito às isenções

Lesão por esforço repetitivo pode dar o direito às isenções de impostos na compra de veículos 0 km.

 

Lesão do Esforço Repetitivo (CID 10 – X50) é a lesão causada pelo desempenho de atividade repetitiva e contínua, como tocar piano, dirigir caminhões, fazer crochê, digitação etc. Também é conhecida pela sigla LER.

Está relacionada à atividade da pessoa e, em alguns casos, pode ser entendida como uma doença ocupacional, ocorrendo sempre que houver incompatibilidade entre os requisitos físicos da atividade ou trabalho e a capacidade física do corpo humano.

A LER instala-se lentamente no organismo humano e, muitas vezes, passa despercebida ao longo de toda uma vida de trabalho. E, quando  identificada, já existe um severo comprometimento da área afetada.

 

Tendinite e LER são a mesma coisa?

LER (Lesão por Esforço Repetitivo) não é propriamente uma doença, mas uma síndrome que pode agrupar diversas doenças, como a tendinite, tenossinovite, bursite, epicondilite, dedo em gatilho, síndrome do desfiladeiro torácico, síndrome do pronador redondo, mialgias.

Essas doenças afetam, principalmente, músculos, tendões e nervos de membros superiores devido, principalmente, à sobrecarrega.

Consequentemente, há dor e inflamação, podendo limitar movimentos do(a) paciente e impedir movimentos antes normais.

Sinônimos da lesão por esforço repetitivo

LER também pode ser chamada de:

  • DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho)
  • LTC (Lesão por Trauma Cumulativo)
  • AMERT (Afecções Musculares Relacionadas ao Trabalho)
  • Síndrome dos Movimentos Repetitivos

 

Causas da Lesão por esforço repetitivo

Alguns fatores de risco contribuem para a instalação da Lesão por Esforço Repetitivo, dentre eles:

  • Movimentos repetitivos
  • Tracionamentos
  • Postura incorreta
  • Levantamento de pesos

 

Fatores de risco da lesão por esforço repetitivo

Algumas atitudes contribuem para a incidência da LER:

  • Digitação intensiva
  • Estresse
  • Trabalho em linhas de montagem
  • Operação de maquinários
  • Ocupação ligada a trabalhos manuais (como músicos, costureiras, empregadas domésticas etc.)

 

Sintomas da lesão por esforço repetitivo

Os principais sintomas da Lesão por Esforço Repetitivo (LER) são:

  • Dor, especialmente nos membros superiores
  • Dificuldade para movimentar a área dolorida
  • Fadiga muscular
  • Sensibilidade ao toque
  • Formigamento
  • Sensação de queimação
  • Inflamação
  • Inchaço

 

Buscando ajuda médica

Especialistas que podem diagnosticar a Lesão por Esforço Repetitivo são:

  • Ortopedista
  • Pediatra
  • Clínico geral

Marque uma consulta com um médico se você sentir qualquer sintoma por mais de oito horas.

 

Na consulta médica

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições e medicamentos ou suplementos que tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa lhe acompanhar

O médico, provavelmente, fará uma série de perguntas:

  • Onde você está sentindo dor?
  • Quando a dor começou?
  • Você tem dor durante o sono?
  • Qual sua profissão?
  • Poderia descrever suas atividades durante o expediente?
  • Você notou algum inchaço?
  • Seu trabalho envolve repetição de movimentos?
  • Você pratica quais esportes?
  • Você sente dor ao fazer alguns movimentos? Quais?

 

Diagnóstico de lesão por esforço repetitivo

O diagnóstico de Lesão por Esforço Repetitivo (LER) geralmente é feito por meio da história que o paciente conta ao médico e por exames físicos. O profissional buscará por sinais de dor e sensibilidade nos locais indicados pelo paciente.

Exames de imagem, como raio-X, ultrassom, tomografia e ressonância magnética podem ser solicitados pelo médico para certificar-se do diagnóstico, avaliar o grau de inflamação e, também, para eliminar outras possíveis causas de dor.

 

Tratamento de lesão por esforço repetitivo

Durante as crises de dor oriundas da Lesão por Esforço Repetitivo (LER), o tratamento pode incluir:

  • Anti-inflamatórios
  • Repouso

Já em casos mais avançados, o médico pode solicitar que o tratamento seja feito com:

  • Aplicação de corticoides
  • Fisioterapia
  • Cirurgia

 

Medicamentos para lesão por esforço repetitivo

Uma Lesão por Esforço Repetitivo pode ter diversas causas, de modo que o tratamento varia de acordo com o diagnóstico estabelecido pelo médico.

Por isso, somente um especialista capacitado pode dizer qual o medicamento mais indicado para  seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento.

O medicamento mais comum no tratamento de lesões por esforço repetitivo é Meticorten.

Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções da bula.

Prevenção da Lesão por esforço repetitivo

As medidas preventivas destinadas a evitar a LER provêm de estudos da adaptação do ambiente (trabalho ou lazer) às características psico-fisiológicas ou particularidades do corpo humano.

Os resultados desses estudos permitem a elaboração de projetos e a adoção de medidas apropriadas, a fim de evitar que o homem exponha sua saúde ao realizar atividades necessárias para sua subsistência ou lazer.

 

Dicas para evitar lesões

  • A cada 25 minutos de trabalho de digitação faça uma parada de 5 minutos
  • A cada hora de digitação, saia de sua cadeira e movimente-se
  • Beba bastante água
  • Mantenha a postura adequada: ombros relaxados, pulsos retos, costas apoiadas no encosto da cadeira
  • Mantenha as plantas dos pés totalmente apoiadas no chão
  • Mantenha um ângulo reto entre suas costas e o assento de sua cadeira
  • Sua cadeira deve ser do tipo ajustável para sua altura em relação à mesa de trabalho, e seu encosto deve prover suporte integral para suas costas
  • O assento da cadeira deve ajustar-se a você e nunca deverá tocar a parte interna de seus joelhos pois, se isto ocorrer, poderá afetar a circulação do sangue em suas pernas
  • O apoio de braços para cadeira é ergonomicamente questionável, no entanto se desejá-los, certifique-se de que não estejam muito próximos ou muito afastados, muito baixos ou muito altos
  • A cadeira é uma das peças mais importantes na prevenção de lesões e é importante que seja bem projetada.
  • Não utilize apoio de pulso durante a digitação, pois há o risco de provocar compressão nos nervos de seu pulso (túnel do carpo)
  • A digitação deve ser feita com os pulsos ligeiramente levantados
  • O monitor do computador deverá estar a uma distancia mínima de 50cm. e máxima de 70cm., ou, de maneira prática, a uma distância equivalente ao comprimento de seu braço
  • A regulagem da altura da tela deve ser tal que se situe entre 15 e 30 graus abaixo de sua linha reta de visão

 

Fonte: Ministério da Saúde

CLOSE
CLOSE
WhatsApp chat